A flatulência de um país…

concerto solidário

Não vi o concerto solidário “Juntos por todos“…

Acho no entanto louvável a iniciativa…

E se todo aquele dinheiro chegar às mãos dos que mais precisam, então o povo Português e a sua proverbial solidariedade têm que estar forçosamente de parabéns…

Nós somos assim…

 

Somos maus a prevenir, mas fantásticos a remediar…

 

Hoje porém dei por mim a ver nos jornais on-line, que a questão mais pertinente do concerto se prendeu com uma frase do Salvador Sobral, o qual afirmou que as pessoas lhe batiam palmas por tudo, e que por isso iria dar um “peido” para as pessoas aplaudirem….

Gerou-se à volta deste personagem, uma espécie de culto após a sua vitória no festival da Eurovisão

O facto de ele achar que pode dar “peidos” para as pessoas aplaudirem revela no mínimo uma enorme falta de educação, para quem o idolatra…

Reduz os seus fãs a “Cães de Pavlov“…

 




 

Seres amestrados que reagem a salivar a qualquer estímulo externo….

Nem que seja um “peido”…

Convém ainda enquadrar a vitória de Salvador no actual contexto do Festival…

 

Há uns anos atrás o Festival da Eurovisão era uma coisa marcante na vida de um artista…

 

Os países participantes enviavam o que de melhor possuíam…

Por Portugal participaram entre outros, Simone de Oliveira, Carlos do Carmo, Tonicha, Paulo de Carvalho, Maria Guinot, José Cid, Adelaide Ferreira ou António Calvário

Ou mesmo as “Doce“…

Já para não falar nesse génio precocemente desaparecido chamado Carlos Paião

Qualquer destes nomes que referi tinha um talento incomensuravelmente superior ao Salvador…

Depois havia a questão da língua…

Todos os países cantavam na sua língua nativa…

 




 

Não estamos a imaginar por exemplo a belíssima música “Ne partez pas sans moi” de Céline Dion em 1988, a ter como título “Don´t go without me”…

Ou o “Insieme” de Toto Cutugno a ser cantado em francês…

Passaram por este certame nomes como os Abba, Johnny Logan, Sandie Shaw, Céline Dion, ou até grupos pop como Katrina and the Waves ou os Bucks Fizz

Todos eles acrescentaram prestígio a um certame que entrou numa profunda decadência….

Ninguém imagina Agneta no meio do “Waterloo”, dizer…

Como vocês aplaudem tudo o que faço, vou fazer xixi aqui no palco…

Ou Johnny Logan, após chegar a Dublin e cantar ao vivo o sublime “What´s Another Year, dizer…

Hey Guys i´m gonna fart…

 

Salvador Sobral é no fundo o espelho de um país onde se instalou uma espécie de loucura colectiva…

 

Li algumas opiniões que defendem o moço, dizendo que aquilo é genuíno…

Pobre país onde um “peido” é uma prova de genuinidade de um povo…

A educação passou a estar fora de moda…

Os valores que sempre nos consubstanciaram enquanto povo desapareceram…

Salvador Sobral e a sua “Divina Flatulência” ainda vão ser eleitos símbolos de Portugal…

O festival da Eurovisão que prendia milhões à televisão, assumiu o papel de circo dos horrores…

Já só me falta ver uma mulher de barbas a ganhá-lo…

Ou talvez não…

 

Serviços de Fotografia Tapa ao Sal

 

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

 

Gostou do artigo? Deixe um comentário: