A Integração Islâmica na Europa

Integração Islâmica na Europa

Já começa a ser banal ouvirmos notícias de atentados nas capitais Europeias…

Berlim

Paris…

Londres…

E outras tantas por onde o terror chega sempre através de um denominador comum…

(Atentado no metro São Petersburgo)

São atentados perpetrados por seguidores do Islão…

 




 

Imediatamente após os atentados, somos invadidos por uma espécie de tentativa de “branqueamento” por parte dos meios de comunicação, o qual sinceramente não entendo…

 

Fica a sensação de que para os orgãos de comunicação social, as pessoas que morrerem podem ressuscitar, como se estivessem num jogo da Playstation…

Não podem…

E quando um caixão desce à terra com um ser humano vitimado pelo terrorismo islâmico, faz de todos nós que sempre vivemos em plena liberdade e com valores perfeitamente definidos, um pouco cúmplices…

Pela cobardia…

Pela indiferença…

Existem até líderes Europeus que tentam dar à coisa um ar de inevitabilidade…

Nada mais falso e perigoso…

 

Serviços de Fotografia Tapa ao Sal

 

Sadiq Khan, o presidente da Câmara de Londres, também ele muçulmano, dizia após os atentados de Westminster, que o que se tinha passado era a consequência natural de viver numa cidade grande…

É mentira…

Xangai é muito maior que Londres

Moscovo, São Paulo, Seul, Tóquio, Beijing ou Cidade do México, são maiores que Londres…

E no entanto não têm atentados…

Porquê?

Porque a comunidade islâmica ou não existe, ou é diminuta…

 

A integração Europeia dos muçulmanos foi feita sem regras…

 

Acreditámos que rapidamente iriam absorver os nosso valores…

Fomos irresponsáveis…

Demonstrámos tolerância pela intolerância e estamos hoje a pagar por isso…

Um dos terroristas de Londres, um jovem chamado Salman Abedi, nasceu em Inglaterra…

O pai fugiu da Líbia para fugir à repressão de Khadafi

O jovem Salman encontrou na velha Albion um país que o acolheu para nascer em segurança…

 




 

Um país onde poderia livremente professar a sua religião…

Onde poderia estudar…

Onde tinha direito a segurança…

A saúde…

Em troca apenas lhe era pedido uma coisa…

Que respeitasse o país que generosamente lhe deu tanto…

Não o fez…

Assassinou pessoas inocentes em nome de um credo…

Pergunto…

 

O que é que falhou na integração?

 

Apenas uma coisa…

A vontade de ser integrado…

Mas pensando bem talvez tenham falhado outras coisas na integração do jovem Salman…

Deveríamos ter avisado o rapaz de que na Europa, uma mulher andar de calções é normal…

Que não tem que andar de burka, e pode sair de casa sem ser acompanhada por um homem…

Deveríamos ter dito ao menino Salman, que os homossexuais na Europa não são chicoteados, e que o adultério não implica apedrejamento até à morte…

E deveríamos ter dito o mais importante…

De que a nossa civilização é fundamentalmente cristã, e que não fecharemos igrejas só porque o Islão não as tolera…

Tenho vários emigrantes na minha família…

O meu tio foi para o Canadá em 1967…

 




 

Os meus sogros para a Alemanha em 1972…

Foram sempre respeitados…

Integraram-se rapidamente…

Apreenderam os valores do país que os recebeu…

Deixaram um pouco de Portugal nos sítios onde estiveram…

Se calhar até deixaram saudades…

O problema da Europa é tentar integrar quem recusa a integração…

Quem acha que a Sharia deve ser aplicada acima da lei de um país…

Quem acha que o Corão é uma cartilha para a vida…

Ou neste caso para a morte…

O que faz sempre uma diferença enorme…

 

Serviços de Fotografia Tapa ao Sal

 

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

 

 

Gostou do artigo? Deixe um comentário: