liberdade de expressão em portugal

Uma questão de liderança…

Jaime Nogueira Pinto graças ao radicalismo dos estudantes que "proibiram" a sua conferência tornou-se um símbolo de liberdade de expressão em Portugal.

Nunca fui grande adepto de John F. Kennedy

Tenho para mim que a morte de certa forma o mitificou, assim como à sua administração…

Kennedy trouxe para a Casa Branca um misto de juventude aliada a alguma irresponsabilidade, suportadas por um carisma único e protegido por uma rectaguarda onde pontificavam homens como Robert McNamara, Dave Powers, Kenneth O´Donnell, ou Malcolm Kilduff

Já para não falar em Robert f. Kennedy, que vivia quase exclusivamente para proteger o irmão mais velho…

Tudo acabou em 22 de Novembro em Dallas

Uns tiros a partir de um edifício na baixa da cidade e “Camelot” ruiu pela base…

Foram apresentadas e debatidas centenas de teorias, mas hoje é quase unanimemente aceite que Lee Harvey Oswald foi de facto o único interveniente no assassinato do Presidente…

No entanto a capacidade decisória de Kennedy fez dele um presidente “sui generis”…

Ordenou a invasão de Cuba, com resultados desastrosos e teve em virtude disso uma guerra nuclear à porta…

Com alguma mestria mas sobretudo com muita diplomacia por parte de Adlai Stevenson II e Anatoly Dobrynin, Kennedy consegue uma meia vitória na crise dos mísseis de Cuba…

Meia vitória porque como contrapartida teve que retirar os “Pershing” da Turquia e ainda financiar os depauperados cofres Soviéticos com alguns milhões de Dólares…

No entanto e para mim, a grande vitória de JFK passa muito pelo que fez ao nível da luta contra a segregação racial…

Nos Estados do Sul, no início da década de 60 a segregação racial era lei…

Por exemplo nos autocarros um passageiro negro só podia viajar na parte de trás e mesmo assim caso o autocarro fosse cheio e entrasse um branco, tinha que se levantar para lhe dar o lugar…

Hoje parece absurdo mas era mesmo assim…

Uma das lutas mais apaixonantes da Administração Kennedy, foi a que levou a Universidade do Mississipi a ser obrigada a aceitar um estudante negro…

James Meredith...

Kennedy enviou para o Mississipi tropas federais e fez o dirigente Universitário aceitar o estudante, mesmo sabendo que as associações de estudantes da Universidade ameaçavam de morte qualquer pessoa que o protegesse…

Foi implacável com aqueles que de certa forma queriam negar aquele rapaz o direito a ter um curso superior e a uma total liberdade de expressão…

Meredith transformou-se por mérito próprio num bom advogado e chegou a ser assessor do Senador Republicano Jesse Helms

A Universidade do Mississipi serviu no fundo como trampolim para uma sociedade mais justa e plural…

Ontem a Universidade Nova de Lisboa anunciou que por razões de segurança, uma palestra agendada para hoje cujo orador seria Jaime Nogueira Pinto, a convite de um movimento chamado “Nova Portugalidade” não seria levada a cabo…

Embora o tema fosse bastante actual, envolvendo Trump, Le Pen e alguns fenómenos populistas, alguns estudantes argumentaram que o mesmo era “Reaccionário, Fascista e Colonialista”, impedindo um brilhante académico de fazer uma coisa básica numa Democracia adulta e Plural…

Emitir uma simples opinião…

O que se passou ali ontem é surreal…

Tivesse Portugal uma liderança forte e Jaime Nogueira Pinto daria a sua conferência…

O Reitor deveria ter sido chamado pelo Presidente da Republica para se explicar…

Afinal quem manda nas nossas Universidades públicas?

O estado ou um grupo de estudantes?

São estas pessoas que nos governarão um dia?

Tentando impor uma lei de pensamento único?

Fazendo lei através da algazarra?

Talvez os estudantes da dita associação, não se tenham apercebido de uma coisa…

Portugal é um país plural…

Não se confina às paredes das Universidades…

E pelo impacto que a notícia causou nas redes sociais, Jaime Nogueira Pinto sem ter feito nada para isso, tornou-se uma estrela…

Na próxima conferência onde participar vai arrastar multidões…

Que vão querer demonstrar a sua indignação pelo que aconteceu ontem…

Aconteceu o mesmo com o inglês conservador e assumidamente gay, Milo Yiannopoulos

A sua conferência na Universidade de Berkeley foi barrada por violentos protestos de associações de estudantes…

Hoje e graças a isso Milo é uma estrela mundial, mesmo que as ideias que defende sejam completamente doidas…

Jaime Nogueira Pinto graças ao radicalismo dos estudantes que “proibiram” a sua conferência tornou-se a partir de ontem um símbolo para aqueles que defendem uma sociedade justa, plural e onde a liberdade de expressão seja uma realidade…

Para fazermos justiça a Evelyn Beatrice Hall

“Posso não concordar com uma palavra do que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-la”…

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

Default image
António Franco
Nasci em 1966 na aldeia da Paúla, em Alenquer, e vivo dos meus prazeres... Gosto de política, de ler, não dispenso uma ida ao Gerês e à Nazaré... Conversar com os meus filhos enche-me a alma... O cheiro da terra molhada, assim como o nascer do sol e as noites estreladas de verão, alimentam-me o espírito... Depois de tudo isto contemplo a paisagem com um passeio junto aos moinhos... Este sou eu!
Artigos: 52

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.