Mensagem de Natal

Quando as luzes se apagam…

A recuperação de valores é urgente, sob pena de perdermos a nossa identidade, a nossa matriz cultural. Mensagem de Natal de António Franco

É praticamente Natal…

Gosto da quadra…

Como católico que sou, acho o Natal da maior importância na solidificação de valores cristãos…

De certa forma o Natal torna as pessoas mais humanas….

O que no fundo prova que a mensagem de Cristo é intemporal…

Eterna…

Ontem ao dirigir-me para casa, reparava nas luzes natalícias…

Em todas as casas existe luz…

Nas ruas…

No sorriso das poucas pessoas que ainda se vêem nas aldeias do Concelho… (O envelhecimento da população… Quo vadis societas?)

Durante o mês de Dezembro toda a solidariedade faz parte de imensos eventos…

Jantares de Natal…

Jantares Solidários…

Cabazes de mantimentos para famílias carenciadas…

Ajuda aos “sem abrigo”…

E no entanto tudo isto é tão efémero…

Tão artificial…

Quando as luzes se apagam, volta tudo ao normal….

O egoísmo e a mesquinhez voltam a ser dominantes…

Aqueles que durante um mês se sentiram apoiados, voltam a ser estigmatizados…

O ostracismo a que a sociedade os votou, volta ainda mais forte…

Mais intenso…

É como se fossem humanos apenas um mês num ano…

Como se só pudessem ser alimentados em Dezembro…

Como se no fundo fossem exibidos como troféus da caridade de quem tem mais poder económico…

A sociedade ocidental perdeu os valores mais básicos de Cristo…

Ou pelo menos só se lembra deles no Natal…

Mesmo a própria Igreja Católica afastou-se da doutrina que lhe serve de base…

Chega a ser quase provocação ver o fausto e a opulência da Igreja, enquanto os carenciados e desfavorecidos se amontoam junto à sua porta…

Muitas vezes o Vaticano através da sua Cúria, apela à generosidade alheia para resolver tamanho flagelo…

No entanto bastaria uma venda de um quadro do imenso espólio eclesiástico, para solucionar esse problema durante várias décadas…

O Natal enquanto época de solidariedade e festa da família é importante…

Mas mais importante que isso é o seu prolongamento durante todo o ano…

Para que uma refeição quente chegue àqueles que não a têm…

Para que um abraço aqueça a alma de quem não tem carinho….

Para que um sorriso ilumine o rosto de alguém que já se habituou a viver sem esse brilho…

Na mais completa penumbra espiritual….

O desafio maior que o ocidente atravessa é o da perda de valores Cristãos…

A recuperação desses valores é urgente, sob pena de perdermos a nossa identidade…

A nossa matriz cultural…

Não deixemos que as luzes se apaguem…

Feliz Natal…

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

Default image
António Franco
Nasci em 1966 na aldeia da Paúla, em Alenquer, e vivo dos meus prazeres... Gosto de política, de ler, não dispenso uma ida ao Gerês e à Nazaré... Conversar com os meus filhos enche-me a alma... O cheiro da terra molhada, assim como o nascer do sol e as noites estreladas de verão, alimentam-me o espírito... Depois de tudo isto contemplo a paisagem com um passeio junto aos moinhos... Este sou eu!

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.