primavera arabe causas e consequencias

A Primavera Árabe ou o Inverno da Civilização?3 minutos de leitura.

Passam hoje 6 anos sobre as manifestações na praça Tahrir, no Cairo que levaram à queda do presidente Mubarak

Passado este tempo e com a Primavera Árabe no seu ocaso, é altura de nos interrogarmos…

Valeu a pena?

A Primavera árabe enquanto manifestação popular teve na minha opinião um objectivo supremo…

Suprimir os governos laicos existentes em alguns países, substituindo-os por governos de cariz mais religioso…

Aí reside o grande problema destes países…

 

O governo mais religioso em países árabes é normalmente de índole extremista…

 

Quando se vêem imagens do Irão e do Afeganistão nas décadas de 60 e 70, e se comparam com imagens de hoje, vemos que os regimes dos Ayatollahs e dos talibans apenas levaram esses países a serem governados numa lógica de medo e submissão totais à lei islâmica…

Como curiosidade o termo taliban, significa estudante de teologia…

 




 

Não existe no islão, o conceito de moderado…

Para um católico a Bíblia é o livro que testemunha a existência de Deus…

Para um muçulmano, o Corão é um livro que rege a sua vida…

 

A primavera árabe trouxe um enorme retrocesso civilizacional aos países onde foi implementada, levando a um decréscimo dos direitos das mulheres…

 

Fotografia de Peretz Partensky – Inserida na galeria do Flickr

Onde estão as feministas anti-Trump?

Com efeito em países em que as mulheres começavam a ter alguma liberdade, rapidamente após os movimentos ditos de “libertação” as mulheres voltaram praticamente à idade média, sendo obrigadas a usar “Burka“, ou a serem proibidas de sair de casa sem um acompanhante masculino.

Surgiram nesses países movimentos radicais como o Daesh, mas noutros normalmente pacíficos assistiu-se na mesma medida ao aparecimento desses movimentos…

O Boko Haram na Nigéria é um desses exemplos…

A primavera árabe “libertou” a Jihad e só agora nos começamos a aperceber e a tentar minimizar essa “libertação”…

Após a primavera árabe têm ocorrido centenas de atentados, sempre com um denominador comum…

 




 

São levados a cabo por árabes…

Ontem o primeiro ministro Holandês dizia que “quem não gostar das tradições holandesas tem que abandonar o país”…

Já vai tarde…

Os milhares de árabes que deixou entrar, começam agora a tornar-se uma ameaça ao simpático povo do mar do norte…

Como em tantos outros países, os árabes que chegaram à Europa não fazem o mínimo esforço de adaptação…

No entanto querem obrigar-nos a aceitar todas as suas crenças…

 

O mundo é depois da chamada Primavera árabe, um local mais perigoso…

 

Fotografia de DVIDSHUB – Inserida na galeria do Flickr

Os muçulmanos passaram a ser vistos com desconfiança…

Com medo…

Existe hoje na Europa uma espécie de vergonha encapotada por termos aceite tanta gente com uma cultura muito diferente da nossa…

Por isso e em sentido oposto os movimentos europeus anti-islão, começam a ter muita força…

Estamos a caminhar para o nascimento de estados policiais…

Com enormes medidas de segurança por todo o lado…

Teria sido tão fácil evitar isto…

 




 

Bastava tentar entender uma cultura que incita ao ódio contra os “ínfieis”…

Sob alguns aspectos o islão não saiu da idade média…

Continua erradamente a ver os católicos como “Cruzados”…

As mulheres como seres inferiores…

Urge tirar conclusões daquilo que representou a Primavera árabe…

Para o islão uma forma de chegar ao poder religioso…

Para o mundo civilizado ocidental um enorme retrocesso civilizacional…

 

Serviços de Fotografia Tapa ao Sal

 

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

 

Deixe aqui o seu comentário:

Também vai gostar de ver:

Partilhe com os seus amigos: