poema falta de ti

Falta de ti…

De ti sinto falta…não te vejo…

No meu intimo recordações tão turvas…

De um corpo inebriante cheio de curvas…

Onde um dia saciarei este desejo…

E toda esta névoa…De onde vem?

Não sei se te verei mais uma vez…

Para nesse dia poder por fim talvez

Amar-te como nunca amei ninguém…

Não sei se és fortuna ou és desgraça

Linda mulher que por mim passa

Conhecer-te nem se calhar mereço

És aquela que jamais me faz sofrer

Doce recordação quando morrer

Da mulher mais linda que conheço

poema falta de ti
Fotografia ilustrativa – Inverno chuvoso em pleno Parque Natural da Serra de São Mamede – Foto: Sérgio Santos
Default image
António Franco
Nasci em 1966 na aldeia da Paúla, em Alenquer, e vivo dos meus prazeres... Gosto de política, de ler, não dispenso uma ida ao Gerês e à Nazaré... Conversar com os meus filhos enche-me a alma... O cheiro da terra molhada, assim como o nascer do sol e as noites estreladas de verão, alimentam-me o espírito... Depois de tudo isto contemplo a paisagem com um passeio junto aos moinhos... Este sou eu!

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.