vinho a copo

Vinho a Copo, nem sempre é a melhor decisão!3 minutos de leitura.

A guerra do vinho a copo, já se sabe, continua a ocupar um espaço quase ilimitado nas conversas sobre o vinho…

Alimentando dissertações apaixonadas sobre a sua necessidade…

Sobre a sua conveniência…

Sobre a urgência em democratizar o processo, e em alargá-lo a um universo ainda mais amplo da restauração.

E desde sempre que nos habituamos a pedir e comprar uma garrafa de vinho nos restaurantes que frequentamos…

Muitas vezes lá ficava mais de metade da garrafa que ninguém bebia e teria que ser paga…

 

Mas, de há uns anos para cá, a tendência tem vindo a mudar e a adotar-se o vinho a copo.

 

conceito de vinho a copo

 

Uma tendência que tem tudo para ser o mais correto e melhor para o consumidor…

O conceito do vinho ao copo serve para dar a conhecer ao consumidor marcas não tão conhecidas e a oportunidade durante uma refeição poder apreciar vários vinhos distintos…

Portugal é conhecido internacionalmente pela qualidade dos vinhos, temos em Portugal dos melhores vinhos do mundo…

A industria vinícola tem também crescido ao longo dos anos e os níveis de qualidade dos vinhos também.

 

Sobram ainda muitos outros argumentos decisivos para o elogio do vinho a copo…

 

Começando pelo conforto de se ter uma oferta alargada de opções…

Prosseguindo na melhor adaptação do vinho a copo à cozinha chamada erudita, para os menus de degustação onde os pratos se sucedem a um ritmo vertiginoso.

Por regra preconizando variações entre pratos de peixe e carne, alternando entre pratos mais ligeiros e propostas mais densas e pesadas…

Dificultando a eleição de um só vinho para acompanhar a refeição.

Do outro lado da barricada, expressa em muitos sectores da restauração, os argumentos afixam-se maioritariamente na dificuldade em gerir garrafas abertas.

 




 

Com os perigos potenciais de prejuízo que o conceito, se mal gerido, poderia acarretar para a casa.

Mas as espinhas estendem-se ainda à indispensabilidade de investir em copos decentes.

E à mais pura e genuína ignorância, perpetuando a lengalenga trágica que insiste em associar o vinho a copo às tabernas de má reputação.

Todos sabemos como é difícil romper com preconceitos antigos.

Mas é na complicação e custo de gerir garrafas abertas e na necessidade de investir em copos que se sentem os maiores escolhos.

Uma adaptação que em muitos locais já foi feita e que ao longo do tempo se tem afirmado como uma etapa ganha.

 

Com o aumento do turismo em Portugal, muitas das grandes cidades nacionais encontram-se um pouco inflacionadas.

 

cesta de vinhos

 

E no que respeita ao vinho a copo, em restaurantes na zona de Lisboa onde é proposto um vinho da região pouco ou nada conhecido, 4 euros por um copo de vinho é até ridículo…

Quando o preço daquela garrafa numa superfície comercial não passa o 1.99€.

Não vamos ridicularizar a prática do vinho ao copo, é algo que aprecio, mas com conta peso e medida.

Gosto de visitar restaurantes e de poder desfrutar a gastronomia da região onde estão inseridos.

E claro, a cada lugar que visito tento ao máximo acompanhar com vinhos da própria região.

É alvo de cada vez mais preocupação, poder servir vinhos da região onde se está inserido.

Não vamos ridicularizar práticas que se adaptaram ao enorme crescimento do turismo.

Vamos sim, manter algo criado de forma a poder mostrar aos consumidores os produtores mais pequenos, mantendo a diversidade de vinhos numa única refeição.

Isso sim, é um conceito correto de vinho a copo que deveremos tentar manter.

 

Serviços de Fotografia Tapa ao Sal

 

Já alguma vez teve uma experiência com o conceito de vinho a copo?

Boa ou má, comente o artigo e conte-me tudo…

E se gostou, partilhe com os seus amigos!

Deixe aqui o seu comentário:

Apaixonada pela gastronomia portuguesa e viagem.
Adoro viajar pelos recantos mais escondidos de Portugal, e provar as melhores iguarias portuguesas.

Também vai gostar de ver:

Partilhe com os seus amigos: