Refugiados na Europa

As novas fronteiras da Europa…

A Europa e a sua comunidade, enfrentam por estes dias o seu maior problema desde a sua fundação em 19. Estará à beira do colapso?

A Europa e a sua comunidade, enfrentam por estes dias o seu maior problema desde a sua fundação em 1957…

Com a queda do muro de Berlim em 1989, a Comunidade Europeia abriu-se para o leste, albergando alguns dos antigos países do Comecon

Esse aumento do número de países na comunidade, trouxe além de um muito maior número de pessoas, algumas ideias que se julgavam adormecidas…

A mais evidente foi o ressurgir de um ultra nacionalismo assente em ideais radicais…

Na noite em que o muro caiu, em Berlim começou a ouvir-se um clamor preocupante…

O slogan “Wir sind ein Wolk”

Nós somos um povo…

Em vez do “Wir sind das Wolk”, Nós somos o povo, ouvido umas semanas antes aquando das manifestações em Leipzig e em Berlim

O secretário de estado americano James Baker, parece ter sido dos poucos a entender a mensagem, e disse aquando da assinatura do tratado de reunificação que “Espero que na próxima vez que vier a Berlim, não seja para assinar um tratado a definir as fronteiras da Alemanha com a China”.

Desde aí floresceram na Europa, sentimentos de alguma intolerância o que era absolutamente expectável…

Os novos lideres Europeus começaram a ter que olhar para um continente muito dividido ideologicamente…

Começou a ser difícil viver numa espécie de “limbo”, alimentado pelo BCE

A Europa começou a revelar-se impotente para dar resolução aos seus problemas externos, mas também se revela incapaz de lidar com os problemas internos…

A quantidade de pessoas que diariamente solicita asilo em terras europeias, ultrapassa em muito a capacidade de resposta do continente e dos seus dirigentes…

Isso leva a extremos…

Por exemplo, enquanto que em alguns países os refugiados eram recebidos com cartazes a dizer “Refugees Welcome”, noutros supostamente com as mesmas obrigações, eram criadas barreiras fronteiriças em arame farpado.

A Europa do politicamente correto, parece dar agora lugar a um outro tipo de ideologia…

Que ao ser sufragada pelo povo, é tão legítima como a anterior…

A Polónia, a Hungria, a Áustria e até a Alemanha, onde há uns dias atrás Angela Merkel assumia que se fosse possível voltar atrás, faria tudo de outra forma, são hoje o paradigma de uma nova sociedade europeia…

A sociedade para quem o bem estar do país se sobrepõe em larga escala, ao bem estar da instituição onde estão inseridos…

A Comunidade Europeia…

Comunidade essa que pode pura e simplesmente ruir pela base onde foi edificada…

Não tenho dúvidas que os próximos lideres europeus serão muito mais próximos ideologicamente de Marine le Pen ou Viktor Orbán, do que de Willy Brandt ou François Mitterrand

A Europa do pós guerra, deu lugar a um estado mais musculado…

Mais virado para dentro…

Mais nacionalista…

Os partidos extremistas crescem a olhos vistos…

Em Espanha o “Podemos” já ultrapassa o PSOE

Na Alemanha o AFD ” Alternative fur Deutschland”, já é o segundo partido mais votado em Berlim…

A Europa tal como a conhecemos está à beira do colapso, ameaçando todo um modo de vida que tínhamos como adquirido e que se não forem tomadas medidas urgentes, se desvanecerá no prazo de uma geração…

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

Default image
António Franco
Nasci em 1966 na aldeia da Paúla, em Alenquer, e vivo dos meus prazeres... Gosto de política, de ler, não dispenso uma ida ao Gerês e à Nazaré... Conversar com os meus filhos enche-me a alma... O cheiro da terra molhada, assim como o nascer do sol e as noites estreladas de verão, alimentam-me o espírito... Depois de tudo isto contemplo a paisagem com um passeio junto aos moinhos... Este sou eu!
Artigos: 52

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.