Ruínas de Conímbriga

Partimos à descoberta das ruínas de Conímbriga

Antiga cidade romana de Conímbriga é um dos sítios arqueológicos mais ricos de Portugal.

Há já muito tempo que tínhamos, aquela vontade de visitar as ruínas de Conímbriga, mas o momento não se tinha proporcionado.

Estivemos por perto, a visitar a Serra da Lousã, e a reconfortar os sentidos com a calmaria e a plenitude que a serra nos transmite.

Foi então que no regresso a casa passamos e, decidimos que iria ser o momento para conhecermos as ruínas.

A curiosidade era muita, mas a realidade do esplendor que encontramos deixa qualquer um perplexo.

As ruínas de Conímbriga, pertencem ao distrito de Coimbra, mais concretamente em Condeixa-a-Velha.

Conhecer a história das Ruínas de Conímbriga

A antiga cidade romana de Conímbriga é um dos sítios arqueológicos mais ricos de Portugal.

Conímbriga teve origem num castro celta da tribo dos Conii, nos finais da Idade do Ferro.

Foi ocupada pelos romanos a partir de 139 a.C. e a sua população totalmente romanizada, foi sob o imperador Augusto, no séc. II d.C. que a cidade conheceu o seu esplendor, tendo sido construídas então Termas públicas e um Fórum.

Com o declínio do Império nos finais do séc. IV, foi elevada uma monumental muralha defensiva, o que não impediu o assalto da cidade pelos suevos, em 468 e o consequente declínio de Conímbriga, que se foi desertificando e os habitantes que restaram deslocaram-se para Condeixa-a-Velha, mais a norte.

O que podemos encontrar durante a visita?

Ruínas da cidade Romana de Conímbriga
Ruínas da cidade Romana de Conímbriga

Durante a visita encontramos construções que nos marcam, pela sua beleza, e valor histórico.

Dos diversos locais a visitar, como podemos comprovar existem locais que nos cativam mais que outros, muitos pelas suas excentricidades da construção outros que nos remontam para as vivências do povo romano que nele permaneceu.

Destacamos alguns locais interessantes de visita, mas muitos outros marcam a importância do espaço.

Fórum (antigo)

O fórum foi o primeiro edifício a ser levantado pelos romanos.

Tornando-se o centro da vida na cidade, dado que era nele que se encontravam as autoridades e o comércio.

Fórum (novo)

O novo fórum foi erguido como parte da celebração da promoção de Conímbriga a município.

O antigo fórum foi demolido e este substituiu-o.

Este novo já não seria palco nem da justiça nem do comércio. Estava rodeado por altos muros e expunham-se as estátuas dos homens reconhecidos.

Praça

A entrada à praça era feita varando um arco, daí chegava-se até o templo e uma fonte, podemos inferir que aqui havia um local de culto; do outro lado, do poente, dada a péssima preservação é impossível determinar o seu uso.

Os pilares estavam ornamentados com filetes que os dividiam em meia-cana.

A praça tinha um pórtico que a rodeava em três lados diferentes.

Mais à frente havia um outro pórtico, servia de ádito à varanda do templo.

Templo

O templo de Conímbriga está em muito mau estado de conservação, dele só restam poucas pedras.

O templo era tão pequeno que só cabiam as estátuas divinas.

Este edifício estava ligado à praça por uma pequena escada lateral.

Termas

Local de banhos romanos

As termas datam também da época de Augusto.

Como não havia nascente em Conímbriga que pudesse suportar o abastecimento de água para as termas, então foi feito um poço, para que a água pudesse abastecer as Termas.

O edifício tinha à entrada três divisões para o segurança e os vestuários.

O complexo termal de Augusto relativamente pequeno, mas suficiente para a cidade que estava a crescer.

Como era norma romana nos banhos, havia três piscinas; uma de água fria, uma morna de transição e uma de água quente.

Casas

As casas em Conímbriga tinham uma forma retangular e estavam alinhadas.

As grandes escavações levadas a cabo ao longo do séc. XX revelaram um valioso e complexo conjunto de edifícios, incluindo termas, um aqueduto que percorre mais de 3.400 metros desde a fonte, e restos de uma basílica cristã, provavelmente do séc. VI.

As casas nobres que conservam o magnífico chão em mosaicos polícromos, destacando-se a casa de Cantaber, residência típica do séc. III é uma das mais amplas do mundo romano ocidental.

Painel de mosaico Romano
Painel de mosaico Romano

A casa dos Repuxos, com uma área de 569 m2 pavimentada de mosaico, ornamentada com quadros que ilustram temas mitológicos e do quotidiano, onde um peristilo central ajardinado e com jogos de água o tornam único.

É sem dúvida um dos ex-libris das ruínas de Conímbriga a casa dos repuxos.

Pode ser observada pelos visitantes, de uma perspetiva mais alta, dando um olhar de profundidade aquele lugar idílico.

Museu Monográfico de Conímbriga.

Antes de terminar a visita não podemos deixar de visitar o Museu Monográfico de Conímbriga.

O museu foi fundado em 1962.

Preserva um acervo diversificado, distribuído por 31 núcleos temáticos, incluindo estatuária, fragmentos de decoração e objetos de uso quotidiano.

Todo o espólio mais valioso até hoje encontrado nas ruínas, continua preservado no museu, ao encontro de quem visita.

Visitar Conimbriga é como entrar numa vivência Romana, aqui bem pertinho de nós…

Uma boa aula de conhecimento que adquirimos, ao visitar locais como este.

Temos monumentos nacionais incríveis à nossa disposição, vamos visitar e aprender um pouco mais dos nossos antepassados.

Siga o álbum de fotografias que preparamos desta viagem riquíssima de conhecimento:

Conímbriga

Já conhece Conímbriga?

Comente o artigo e conte-me tudo…

E se gostou, partilhe com os seus amigos:

Default image
Sofia
Apaixonada por gastronomia portuguesa e viagem. Adoro viajar pelos recantos mais escondidos de Portugal e provar as melhores iguarias portuguesas.

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.