Poesia-Manuel-Neto-dos-Santos_10-Publicação

Manuel Neto dos Santos – 10ª Publicação

CADERNO DE MONTE BOI E OUTROS VERSOS QUE ME CHAMAM COMO VOZES

À procura de mim. quem sou? Sei lá.

Sou outros neste mesmo que recrio

pois ser o que não somos sempre dá,

da certeza-maior, o poderio.

De mim, desencontrado, eis o lugar

onde o dia renasce, imperador,

e o caminho dirá, por onde for,

se for esse o caminho a caminhar…

À procura de mim; sou mais achado

na perdição de me buscar ainda…

No encalço de mim, em todo o lado,

pelo centro dessa busca … que não finda.

Casa 3 de junho 16

20,48 h

Assim como pressinto achegada da urgência

Avassalante, e austera, que exige a narrativa

Deste meu “estar no mundo”, despido, em carne viva…

Assim também pressinto o esbater da aparência.

Tropeça a fluidez dos versos, no compasso,

nos próprios passos postos de pernas arqueadas…

nem sol, nem horizonte, nem lua ou madrugadas

mitigam letargia…Aceito, e sou; cansaço.

5 Junho 16

13, 06 h

Poesia_árvore
Fotografia ilustrativa – Ramificações… próximo da Capela de Stº André, Nisa – Autor: Sérgio Santos
Quadro de árvore

Impressão de Fotografia

Decore o seu espaço

A utilização das mais recentes tecnologias de impressão, permitem que seja possível imprimir fotografias com cores brilhantes, nítidas e altamente resistentes.

Default image
Manuel Neto dos Santos
Poeta, actor, declamador, tradutor, poliglota. Nasceu em Alcantarilha- (Silves-Algarve) - a 21 de Janeiro de 1959. Activista cultural desde a adolescência. Figura incontornável na moderna poesia portuguesa.
Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.