Mosteiro da Batalha

De Santa Maria Vitória ergueu-se o Mosteiro da Batalha…

O convite é para nos perdermos nas dimensões deste magnífico monumento, património da Humanidade desde 1983.

Mosteiro da Batalha, como vulgarmente é conhecido.

185 anos foram necessários para erguer este grandioso monumento do Gótico português.

O Mosteiro de Santa Maria da Vitória, é uma obra prima da Humanidade.

Assim o diz a UNESCO, na sua classificação.

E nós com orgulho, concordamos!

Nuno Álvares Pereira ganhou a Batalha de Aljubarrota, e os portugueses garantiram a independência de Castela, legando uma invulgar obra de arquitetura.

A história do Mosteiro da Batalha começa a escrever-se no dia 14 de agosto de 1385, em pleno campo de batalha.

Mosteiro de Santa Maria da Vitória
Fachada Gótica do Mosteiro de Santa Maria da Vitória.

Estamos a sair do interregno, D. João I acabara de ser aclamado rei e, desta vitória sobre os castelhanos depende o futuro da dinastia de Avis e a soberania de Portugal.

Muito estava, pois em jogo.

O rei devota-se à Virgem Maria, prometendo construir um monumento em sua honra se saísse vitorioso do confronto.

Os portugueses derrotaram o inimigo… D. João I agradece e cumpre a promessa.

As obras começam em 1386, e duraram até 1517.

Todo o século XV é dominado por esta imensa construção em que predomina o Gótico e onde surge a primeira manifestação do Manuelino, a acrescentar decoração ao Claustro Real.

Esta obra que foi de muitos mestres e artesãos, como referido pelo professor de História Saúl Gomes.

Da Igreja aos Claustros, passando pela Capela do Fundador, Capelas Imperfeitas, não esquecendo a Sala do Capítulo…

O convite é para nos perdermos nas dimensões deste magnífico monumento, património da Humanidade desde 1983.

Capelas Imperfeitas Mosteiro-da-Batalha
Capelas imperfeitas.

A construção abrangeu sete reinados da segunda dinastia (1385-1580) e envolveu uma vasta equipa de mestres-pedreiros de grande nível, tanto nacionais como estrangeiros, que foram inicialmente dirigidos por Afonso Domingues, até ao seu falecimento, em 1402.

Durante esse período, ergueu-se parte da igreja e o claustro real.

Sucedeu-lhe o Mestre Huguet, inglês, que até 1438 completou a igreja, construiu a capela do fundador e iniciou o panteão de D. Duarte.

Entre 1448 e 1477, Fernão de Évora desenhou o claustro de D. Afonso V e, já no século XVI, Mateus Fernandes foi o responsável pelas Capelas Imperfeitas.

As capelas imperfeitas situam-se por detrás da cabeceira da Igreja, no alinhamento da capela-mor.

O seu verdadeiro nome Panteão de D. Duarte, mas que usualmente é conhecido por Capelas Imperfeitas, no sentido de inacabadas.

Estrutura-se segundo um desenvolvido octógono com a entrada a eixo e sete capelas radiantes separadas por pequenos corpos triangulares.

Tal como o nome indica são capelas que nunca foram terminadas, ainda hoje assim permanecem.

O Mosteiro de Santa Maria da Vitória alberga o mais importante núcleo de vitrais medievais portugueses.

vitrais medievais
Vitrais no interior do mosteiro.

Que se podem admirar na Capela-Mor e na Sala do Capítulo.

A nave central da igreja eleva-se a 32,5 metros e apoia-se sobre oito colunas de cada lado.

Além das capelas e dos claustros, podem ainda visitar-se o dormitório, o refeitório e a cozinha do mosteiro.

O largo situado no exterior foi outrora ocupado em grande parte pelo Claustro de D. João III.

Incendiado aquando das Guerras Napoleónicas, veio a ser demolido por ocasião das obras de restauro empreendidas em meados do século XIX.

A meio do largo, pode apreciar-se uma lápide que reproduz as siglas de vários pedreiros e assinala o local da antiga Igreja de Santa Maria-a-Velha, o templo primitivo onde os construtores do mosteiro assistiam aos serviços litúrgicos.

Momentos históricos que bem presentes se encontram nos nossos dias.

Uma visita que nos mostra muita da história de Portugal.

O Mosteiro da Batalha, com as suas impressionantes estruturas arquitetónicas sobretudo góticas, impressiona logo à chegada.

Uma visita histórica e atual.

Bom local para nos envolvermos na cultura nacional…

Um bom passeio acompanhado de uma aula para quem visita o interior do Mosteiro da Batalha.

album fotografias mosteiro batalha

Já conhece o Mosteiro da Batalha?

Comente o artigo e conte-me tudo…

E se gostou, partilhe com os seus amigos:

Default image
Sofia
Apaixonada por gastronomia portuguesa e viagem. Adoro viajar pelos recantos mais escondidos de Portugal e provar as melhores iguarias portuguesas.
Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.