Natal na Sociedade Ocidental

O Natal na Sociedade Ocidental…2 minutos de leitura.

Passou mais um natal…

As luzes apagam-se…

A árvore desmancha-se…

O consumismo desenfreado acaba…

Até ao próximo Natal…

Apenas resta a mensagem…

De alguém superior que nasceu na terra santa há muitos séculos atrás…

 

Pode-se acreditar ou não em Jesus Cristo, mas não se fica indiferente…

 

Estamos provavelmente a falar do maior profeta da História da humanidade, criando as raízes que hoje suportam grande parte da sociedade ocidental…

Aquele que ao intitular-se “filho de Deus”, vem provocar ódios e paixões quase irracionais…

Que subsistem nos dias de hoje…

 




 

Aquando da queda da União Soviética, o primeiro impulso das pessoas foi regressarem ás igrejas, cujo acesso lhes tinha sido vedado desde a época Estalinista

A génese da queda do muro de Berlim, nasce também ela numa igreja de Leipzig

Com as célebres reuniões das segundas feiras…

 

Falar de Jesus Cristo é por isso um tema apaixonante…

 

Vejamos…

Estamos a falar de um homem que através da mensagem, “vergou” o maior império conhecido, á excepção de Alexandre Magno

A brutalidade do Império Romano é por demais conhecida…

Desde gladiadores a escravos, passando pelo tormento dos remadores de galés, Roma é um misto de beleza e crueldade…

Passam pelo poder homens fantásticos como Augusto, Tibério ou Constantino, ao mesmo tempo que verdadeiros déspotas como Calígula ou Nero, também se sentam no trono Imperial…

 




 

É neste equilíbrio periclitante que Jesus aparece…

Na província mais pobre e longínqua do Império…

Com uma mensagem simples…

De amor e fraternidade universais…

Transmitindo aos crentes uma fé tal, que estes não hesitarão em deixar-se perseguir em seu nome…

 

Hoje em 2017 quando se ouvem apelos contra a perseguição a cristãos no médio oriente, não podemos deixar de nos interrogar…

 

Será que estamos a assistir a um novo ciclo de intolerância religiosa?

Levada a cabo agora por crentes num outro Deus?

A mensagem de Cristo continua forte… actual…

Mas terá que ser concreta…

Não podemos abandonar aquele sobre o qual a nossa civilização foi edificada…

Os nossos valores foram construídos…

 




 

O nosso modo de vida foi sendo consubstanciado…

O natal dos cristãos será sempre um tempo de fé…

De esperança…

Mas terá que ser também um tempo de ideais…

Porque foram esses ideais que permitiram à civilização ocidental, o avanço que hoje todos lhe reconhecem…

Não nos esqueçamos nunca disso…

Para que Jesus não tenha nascido em vão…

Mas fundamentalmente para que a sua morte, não tenha sido inglória…

 

Serviços de Fotografia Tapa ao Sal

 

Ler outros textos de António Franco: Aqui… e se gostou, partilhe este texto para que mais pessoas possam ler!

 

Deixe aqui o seu comentário:

Também vai gostar de ver:

Partilhe com os seus amigos:

Já com meia década de existência, nasci em 1966 na Paúla, em Alenquer e vivo dos meus prazeres!
Gosto de política, de ler, não dispenso uma ida ao Gerês e à Nazaré! Brincar com os meus filhos enche-me a alma!
Alimenta o meu espírito o cheiro da terra molhada, assim como o nascer do sol e as noites estreladas de Verão! Depois de tudo isto contemplo a paisagem com um passeio junto dos moinhos!
Este sou eu!