guia o que visitar em nisa

Guia sobre o que visitar em Nisa

Nisa é uma vila que reúne um interessante património religioso e museológico, com uma gastronomia de eleição

É para mim um orgulho enorme poder realizar um guia sobre o que visitar em Nisa.

Sou uma nisense de coração

Com um sentimento de amor e respeito irei mostrar um bocadinho mais da minha amada vila.

Para quem não conhece a “Notável Vila de Nisa”, localiza-se no distrito de Portalegre, paredes meias com o distrito de Castelo Branco.

Um concelho rico em tradições, e as suas gentes inigualáveis.

Lugar onde o bem receber e o bem comer impera…

Quem visita Nisa vai sempre conquistado pelos aromas tão únicos e característicos…

Nisa é terra de olaria pedrada, queijo e o seu artesanato tão distinto…

Descubra a História de Nisa

Enquadrado pelo rio tejo e pela fronteira com Espanha, o concelho de Nisa é atravessado por ribeiras, vales, planícies de montado e olival, e pontuado por pequenas serras e grandes monumentos naturais, que resultam numa impressionante diversidade paisagística.

Importantes testemunhos da pré-história são a anta de São Gens, perto de Alpalhão, e as notórias gravuras rupestres junto ao Tejo, no Cachão de São Simão.

Impressão de Fotografia

Decore o seu espaço

A utilização das mais recentes tecnologias de impressão, permitem que seja possível imprimir fotografias com cores brilhantes, nítidas e altamente resistentes.

Em viagem pelo concelho há vários percursos pedestres assinalados com marcas desse passado.

A vila Medieval de Amieira do Tejo junto ao Tejo, Alpalhão, fundada pelos Templários, e a vila de Montalvão são pontos de paragem obrigatória para quem visita o concelho de Nisa.

Arês, São simão, São Matias, Santana e Tolosa são as restantes freguesias que completam a interessante travessia por este tão belo concelho alentejano.

Mas uma visita não pode terminar sem se provar os verdadeiros sabores nisenses, como o verdadeiro queijo de Nisa, e a sua doçaria…

Conhecer os artesãos que ainda preservam o património tradicional, bem representado nas peças de olaria pedrada, os alinhavados, as bainhas abertas, a arte de feltro aplicado, entre muito outras…

Origem da vila de Nisa

A atual Nisa sucedeu em finais do século XIII, à chamada Nisa-a-Velha, onde hoje se ergue a capela de Nossa Senhora da Graça.

D. Dinis foi responsável pela fundação da nova vila, quando ordenou aos Templários a construção de um castelo na nova localização, após a destruição da antiga povoação na crise sucessória de D. Afonso III para D. Dinis.

Em meados do século XIV, em plena guerra entre os Reis D. Afonso IV de Portugal e Afonso XI de Castela, Nisa conhece uma nova fase de desenvolvimento com a construção de muralhas em torno da vila.

Dado o seu importante papel na defesa da soberania nacional durante a crise de 1383-1385, o Rei D. João I atribui-lhe o título de “Mui Notável”.

Hoje Nisa é uma vila que reúne um interessante património religioso e museológico, com uma gastronomia de eleição…

Cruzando as portas da vila, o centro histórico é delimitado pelas antigas muralhas hoje integradas na malha urbana.

Nas tranquilas ruas que constituem a malha urbana e o que resta do castelo (Portas de Montalvão), desvenda-se parte da história de Nisa, conhecem-se as iguarias típicas da região e o famoso artesanato, com destaque para os núcleos do Museu do Bordado e do Barro.

telhados de nisa
Casario no centro histórico de Nisa.

1 – Igreja Matriz

É na zona histórica de Nisa que encontramos a Igreja Matriz, fundada no século XV, possui uma fachada harmoniosa enquadrada por duas torres sineiras.

No interior destaca-se o altar-mor barroco em talha dourada.

2 – Igreja da Misericordia

Caminhamos um pouco até encontrarmos o largo onde se situa o edifício histórico da Santa Casa da Misericórdia, o edifício dos paços do concelho e a Igreja da Misericórdia.

Esta última edificada na primeira metade do seculo VI, com hospital anexo, apresenta um portal ricamente decorado e fachada harmoniosa enquadrada por torres sineiras.

3 – Portas de Montalvão

Percorrendo as ruas estreitas do centro histórico, apreciando o casario branco e todos os edifícios históricos, encontramos as Portas de Montalvão.

Foram erguidas por ordem de D. Dinis na última década do século XII.

Do castelo restam duas portas com lápides medievais e modernas, e vestígios da muralha que envolve o centro histórico medieval.

4 – Núcleo Central do Museu do Bordado e do Barro.

Mesmo ao lado situa-se a Cadeia Nova, totalmente recuperada e transformada no Núcleo Central do Museu do Bordado e do Barro.

O núcleo central alberga a exposição permanente do Barro e do Bordado, com o piso térreo e o primeiro piso, dedicados à arte da olaria e o último piso dedicado aos bordados de Nisa.

Uma visita obrigatória para quem visita Nisa, local onde poderá observar e perceber o orgulho nisense pela olaria pedrada e nos bordados único e incríveis…

O valor da entrada do museu é de 2€, mas existem vários descontos para maiores de 65, grupos organizados, e quem visitar numa sexta feira a entrada é gratuita.

Como visitar a vila de Nisa?

Nisa está situada a 2 horas de distância de Lisboa, de fácil acesso boas estradas, para quem se desloque do Norte ou Sul do país.

Ao visitar Nisa, aprende um pouco da sua história…

É uma vila carregada de tradições e costumes… é na Páscoa que são mais vincadas.

O dia de Páscoa e a segunda feira seguinte é comemorado o dia da Romaria da Senhora da Graça em Nisa, dia da padroeira de todos os nisenses.

Comemorado na sua capela, sendo um dia de comemoração e convívio entre todos.

São dias em que muitos familiares e nisenses ausentes regressam para as comemorações mais apreciadas por todos.

Também no verão muitos dos emigrantes regressam à terra, para visitar os seus entes queridos. É durante o mês de agosto que Nisa aumenta, em muito, a sua população.

Também neste mês realiza-se o “Nisa em Festa”… traz animação, música e muito do que de melhor se faz em Nisa.

São as suas tradições que até ao dia de hoje ainda se tentam manter por pessoas mais velhas como a tradição das capelas de São João, uma tradição única no país e muito apreciada na vila.

Muitos outros encantos há para conhecer e percorrer esta vila magnifica.

Está nas suas mãos com a minha ajuda!

vista da vila de nisa
Montado alentejano com vista para a vila.

Onde dormir

Monte Filipe Hotel & Spa

Quinta dos Ribeiros Agro Turismo;

Monte do Pego – Casa de Campo.

Onde comer

Restaurante Taverna da Vila (aberto ao fim de semana),

Restaurante Quintal das Festas ( Aberto apenas no Verão),

Restaurante a Regata,

Restaurante o Túlio,

O que visitar em Nisa?

Em Nisa encontramos desde monumentos naturais, aos monumentos religiosos.

São bons motivos para querermos percorrer todas as ruas em busca de mais conhecimento, e não deixarmos para trás nenhum.

1 – Biblioteca Municipal

DA ESCOLA DO ROSSIO… À BIBLIOTECA MUNICIPAL

Foi o Dr. José Dinis da Graça Mota e Moura, que no seu testamento deixa um legado de 2000 réis destinado à construção de um edifício escolar.

In “Monografia da Notável Vila de Nisa” de José Francisco Figueiredo

1894 – “…e o imponente edifício escolar, naquela época o melhor de todo o distrito, foi inaugurado solenemente a 8 de Janeiro de 1894, entre os clamores ovacionais de todos os nisenses, a alegria das crianças, a honrosa presença das figuras da terra, os acordes jubilosos da filarmónica local e o estrelejar dos foguetes…”

1987 – A Câmara Municipal de Nisa entrega, na Secretaria de Estado da Cultura, o projecto de transformação do edifício da Escola do Rossio em Biblioteca Municipal.

1993 – É inaugurada (10 de Abril) a Biblioteca Municipal, com a presença, em representação do Governo Português, a Dra. Teresa Calçada, presidente do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas.

2002 – Por deliberação (11/2002) da Câmara Municipal é atribuído à Biblioteca a denominação de Biblioteca Municipal Dr. Motta e Moura.

2- Cine Teatro

Inaugurado a 9 e 10 de Outubro de 1931 o Cine Teatro de Nisa representou a concretização de um sonho colectivo e a demonstração do maior amor à sua terra, a que deram forma vários nisenses, através da então constituída Empresa do Teatro Nisense.

Entre tantos que disponibilizaram dinheiro e boa vontade, dois homens temos, forçosamente, de destacar: Manuel Granchinho e José Vieira Esteves da Fonseca. Um e outro pela generosidade das suas contribuições monetárias e empenhamento pessoal, o último, também, como gestor da obra no terreno e, posteriormente, como administrador da empresa.

Após profundas obras de recuperação, o Cine Teatro retomou a sua actividade em Outubro de 1997 e iniciou um novo ciclo de espectáculos. No âmbito da inauguração realizou-se um espectáculo com colectividades e grupos do concelho de Nisa e foram representadas peças integradas no Festival Internacional de Teatro de Portalegre.

Do edifício do Cine Teatro inaugurado em 1931, para além da memória dos seus momentos de glória, permaneceu a fachada inicial

Operou-se uma total remodelação dos espaços e equipamentos.

As instalações actuais do Cine Teatro compreendem uma Sala de Espectáculos para 394 espectadores, com condições de conforto, dotada de ar condicionado e de modernos equipamentos de projecção, iluminação e instalação sonora. Um amplo palco com torre de cenários, ecrã de cinema e fosso de orquestra torna a sala vocacionada para sessões de cinema, teatro, teatro musicado, dança, canto, concertos musicais, actos cívicos.

3 – Capela do Mártir S. Sebastião

São Sebastião foi martirizado em Roma no ano de 286 (século III) pelo imperador romano Diocleciano por professar a fé Cristã.

A capela do Mártir Santo (Nisa) foi construída no século XVI e ficava no campo.

Segundo a Monografia de Nisa foi a segunda Paroquia de Nisa antes da Igreja do Espírito Santo, no entanto com o crescimento demográfico edificou-se a Igreja do Espírito Santo nos meados do século XVI.

A tradicional festa esteve por se realizar cerca de 15 anos. No ano de 2005 retomaram-se os festejos em honra do Mártir.

4 – Pelourinho

É já do século XVIII, e mesmo este não chegou aos nossos dias sem sofrer alguns acidentes e transformações, após a ordem de demolição emitida pela Vereação em 1877.

Sabe-se que o fuste, com o plinto da base, serviu como poste de uma tabuleta comercial junto à Capela do Calvário da vila, e suporte para cartazes à entrada da Praça do Rossio, enquanto os degraus cumpriam a função de bancos no mesmo local, nas primeiras décadas do século XX .

Os restantes elementos (ferros, capitel e remate) estavam à guarda da câmara, tendo sido reunidos e remontados no pequeno jardim diante do actual edifício dos Paços do Concelho, igualmente oitocentista, em 1940.

pelourinho nisa
Pelourinho em Nisa.

O pelourinho é constituído por uma plataforma de três degraus quadrangulares, com arestas salientes e boleadas, sobre a qual assenta o conjunto da base, fuste e remate. A base da coluna é um paralelepípedo alto, com faces molduradas e decoradas com dois florões em disposição vertical.

O fuste é uma esguia pirâmide truncada no topo, de secção octogonal e faces lisas, sustentando um singelo capitel moldurado, onde se destaca um brasão de armas.

Entre o fuste e o capitel estão os ferros de sujeição, recurvos, dispostos em cruz, e conservando as argolas.

O remate é composto por um pequeno pináculo, uma esfera armilar a eixo, e sobre esta uma mão empunhando uma espada na vertical, sendo estes últimos elementos em ferro.

5 – Coreto

Situado no centro do jardim em Nisa, local ainda hoje utilizado para atuações de bandas e animação nas noites de Verão.

Impressão de Fotografia

Decore o seu espaço

A utilização das mais recentes tecnologias de impressão, permitem que seja possível imprimir fotografias com cores brilhantes, nítidas e altamente resistentes.

6 – Igreja do Espírito Santo

Situada perto da Praça da República em Nisa, é uma construção do século XVI com altar-mor em talha dourada dos finais do século XVII.

7 – Capela de Santo António

Situada um pouco afastada do centro da vila, foi intervencionada à relativamente poucos anos, toda a zona envolvente da capela bem cuidada. Apenas não pode ser visitado por se encontrar fechado.

8 – Capela do Calvário

Ao longe pode ver visível bem alto no extremo da praça da república, (apenas pode ser apreciado por fora por se encontrar encerrado)

9 – Casa do forno

Uma pequena casa no coração do centro histórica da vila, recentemente inaugurada, presenteia quem a visita com um forno e a história de todo o processo de como era utilizado o forno comunitário na vila.

10 – Valquíria Enxoval

Peça de grandes dimensões elaborada com bordados típicos de Nisa, pela artista Joana Vasconcelos. (Em exposição no Cine Teatro de Nisa).

11 – Estátua do emigrante

É uma estátua recente de homenagem a todos os nisenses que emigraram sobretudo para França, simbolizando a travessia dos Pireneus.

12 – Miradouro de Nossa Senhora da Graça

Capela da Senhora da Graça
Capela e Miradouro de Nossa Senhora da Graça.

Situado bem no alto do monte podemos vivenciar uma experiência 360º, onde avistamos todos o redor do concelho de Nisa, são paisagens de perder de vista e suster a respiração.

13 – Anta de São Gens

É um monumento megalítico de planta simples circular, tem 5 esteios de granito de forma rectangular apontada cravados no solo, inclinados para o interior. Tem cobertura em chapéu, formado por laje única piramidal. Possui câmara e porta de separação corredor/câmara, conservando-se ainda os ortostáticos e algumas pedras no corredor.

14 – Anta dos Saragonheiros

Faz parte duma necrópole megalítica, a dos Saragonheiros, formada por quatro dólmens.

Foi recentemente reabilitada, de fácil acesso na estrada que liga Nisa a Alpalhão.

15 – Menir do Patalou

De granito, com cerca de 4 metros de altura e 1 metro de diâmetro, pesando aproximadamente 7 toneladas encontrava-se tombado e foi objeto de especial atenção, tendo sido reerguido em 26 de setembro 2015, passando desde então a ser possível a sua visita.

16 – Portas de Rodão

São uma formação geológica situada perto de Vila Velha de Ródão, resultante da intersecção do duro relevo quartzítico da Serra das Talhadas com o curso do rio Tejo. Neste local há um estreitamento do vale, que aqui corre entre duas paredes escarpadas, que atingem cerca de 170 m de altura, fazendo lembrar duas “portas”, uma a norte no distrito de Castelo Branco, Beira Baixa, e outra a sul no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, Alto Alentejo.

As Portas de Ródão são igualmente um local privilegiado de observação da avifauna, servindo de habitat à maior colónia de grifos de Portugal.

17 – Conhal do Arneiro

Representa uma enorme área industrial do tempo dos Romanos.

A Arrugiae, designação romana para mina de desmonte a céu aberto com aplicação de energia hidráulica.

Esta é uma das maiores arrugia encontradas em Portugal, com uma área que corresponde a cascalheiras resultantes da remoção do ouro dos terraços.

Terá sido contemporane de Las Médulas (Espanha), o Castelejo poderá ter sido um local de vigilância sobre a exploração monera e o tráfego fluvial

18 – Fontes de Nisa

Fontes de Nisa
Mapa das fontes de Nisa Imagem: Câmara Municipal de Nisa.

Uma terra onde as fontes imperam, são muitas e quase todas têm água a correr.

Muito habitual na vila os habitante terem um cântaro de barro com água que enchiam nas fontes, e ali conservavam a água fresca.

Ainda nos dias de hoje é extremamente comum, a ida à fonte para trazer água para casa.

Muitas das fontes já se encontram ligadas à rede de águas municipal, mas ainda encontramos algumas com águas de nascente.

As fontes presentes na vila são:

A Fonte do Frade; Fonte do Rossio; Fonte Seca; Fonte da Cruz; Fonte da Aluada; Fonte Nova; Fonte do Martir Santo; Fonte da Devesa; Fonte do Boqueirão; Fonte da Pipa; Fonte do Cão.

Atividades económicas que sustentam a identidade do povo de Nisa

Toda a região é marcada com uma atividade agrícola muito elevada, sendo a principal o fabrico e produção do famoso queijo de Nisa.

A apicultura é uma atividade com muitos anos de existência, o mel tem predominância no rosmaninho, obtendo uma coloração de um amarelo-torrado.

Rosmaninho
Campo com rosmaninho em Nisa.

É nas encontras do rio Tejo que nascem as flores que dão essas propriedades inigualáveis ao mel.

Já provei, e aprovei, é o meu mel preferido.

A produção de azeite é uma atividade muito importante em bem como em todo o Alentejo, a colheita da azeitona ainda é feita de modo artesanal à mão.

Também em Nisa encontramos as Termas da Fadagosa de Nisa, um complexo termal onde as suas águas sulforosas ajudam na melhoria de algumas patologias.

São indicadas para doenças reumáticas e respiratórias.

Mas que nos últimos anos a actividade termal, tem sido prática habitual de abandono e desrespeito pelas suas águas terapêuticas…

Em tempos era um completamente diferente…

Fica a esperança que as Termas da Fadagosa de Nisa voltem a ser aquilo que já foram…

Artesanato

A arte de pedrar o barro, uma arte inigualável, é das mãos dos melhores oleiros que as peças de Olaria Pedrada de Nisa saem.

Uma arte única no país, esteve muitos anos um pouco esquecida, mas que recentemente tem sido uma aposta, mesmo no fabrico de peças para decoração.

Nunca podendo esquecer as mãos das bordadeiras de Nisa, e que mãos…

São feitos em Nisa trabalho lindos em diversas técnicas que já tivemos oportunidade de conhecer e mostrar-vos…

Desde Aplicação em feltro, às bainhas abertas, aos alinhavados, as rendas de bilros, as frioleiras, os xailes de Nisa bordados à mão em ponto de cadeia, o ponto grenhão, entre tantos outros encantos que me perco só de ver.

Gastronomia

É na gastronomia que Nisa rende qualquer um ao seu encanto, do melhor que encontramos pelo país…

Deixam qualquer um com vontade de voltar…

O borrego e o porco imperam em relação a confeção de pratos tradicionais.

As sopas de Sarapatel (feitas com borrego);

O afogado de borrego;

As sopas de Cachola (feitas com porco);

Os maranhos com tomatada;

Os pézinhos de tomatada;

Feijão das Festas (feitos nas vésperas do casamento);

Sopas de Peixe do Rio;

Migas de Batata e pão com carne frita;

E para terminar uma refeição com chave de ouro não podem faltar os melhores doces.

As tigeladas;

Cavacas;

Barquinhos;

Nisas;

Rebuçados de Ovos;

Bolos Dormidos;

Bolos de Canela;

Bolos de Azeite;

Broas dos Santos;

Queijadas de Requeijão;

Azevias;

Bolos batidos.

Para além dos pontos turísticos o que fazer em Nisa?

1 – Percursos pedestres de Nisa

PR1NIS – Trilhos das Jans – Amieira do Tejo 13,50km

PR2NIS – Descobrir o Tejo – Chão da Velha 4,25Km

PR3NIS – Olhar sobre a Foz – Central da Velada 5,75Km

PR4NIS – Trilhos do Conhal – Arneiro 11,2Km

PR5NIS – À descoberta de São Miguel – Pé da Serra 8,5Km

PR6NIS – Rota dos Açudes – Salavessa 10,6Km

PR7NIS – Entre Azenhas – Montalvão 12,4Km

PR8NIS – Trilho da mina de ouro do Conhal – Arneiro 8,5Km

PR9NIS – Roteiro das Fontes – Nisa 18,5Km

Caminho de Santiago – Etapa de Nisa- 35Km

2 – Visita às mestras bordadeiras de Nisa

Uma visita para quem aprecia e para quem queira aprender a arte de bordar, é uma visita às muitas mestras ainda em exercicio na vila de Nisa .

Quem visita Nisa quer voltar sempre…

Uma vila linda que nos marca pelas suas gentes…

O viver os dias devagar, aproveitando cada passo e cada som da natureza…

Acordar e ouvir o sino da igreja a tocar todas as horas, é uma sensação única, que raramente já encontramos…

Mas a verdade é que Nisa sempre marca pela sua gastronomia inigualável…

São ótimos os motivos para visitarmos a Notável vila de Nisa…

Espero que gostem, como eu gosto e sempre gostei da minha linda Nisa…

Perguntas frequentes dos visitantes:

Que outros locais para visitar perto Nisa?

Nisa é um concelho muito grande, um local a não perder é o Castelo de Amieira do Tejo, e o Castelo de Montalvão.

Quando visitar?

Nisa pode ser visitada em qualquer altura do ano, mas é no verão quente que encontramos mais actividades para realizar em todo o concelho.

Possso adquirir uma fotografia de Nisa?

Pode adquirir as fotografias da região de Nisa através do site Tapa ao Sal Fotografia.
Ao visualizar o álbum de fotografias que preparamos no artigo, pode escolher qual a fotografia que prefere, com os diferentes tipos de impressão e medidas.

Existe algum sítio para fazer um picnic?

Sim, existem sítios magnificos em Nisa, no lugar de Nisa a velha onde se encontra a capela de Nossa Senhora da Graça.

Assista a outros vídeos no nosso canal: Tapa ao Sal TV

Siga o álbum de fotografias que preparamos desta viagem riquíssima de conhecimento:

Já conhece a vila de Nisa?

Comente o artigo e conte-me tudo…

E se gostou, partilhe com os seus amigos:

Default image
Sofia
Apaixonada por gastronomia portuguesa e viagem. Adoro viajar pelos recantos mais escondidos de Portugal e provar as melhores iguarias portuguesas.

Deixe um Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.